barras_cores_1.png

A bug está de volta!

Após 20 anos, Bug volta à cena musical e acaba de lançar oficialmente o álbum autoral “Gosto, mas não posso”, que ganhou versão repaginada, além do single inédito "O que tem que ir”.
 

O processo de criação da banda teve início em 1998, mas sua consolidação ocorreu em 2000, ano do temido “Bug do Milênio”, o que não aconteceu e serviu de inspiração para a escolha do nome do grupo. Assim nascia a belo-horizontina Bug cujo objetivo era de apresentar seu som contagiante, com fusões harmônicas do pop e do rock, para além das fronteiras de Minas Gerais, ecoando pelo Brasil e pelo mundo. Seu lema é “não criar novas tribos, mas unificá-las sob a legenda dos que gostam de ouvir uma boa música.”

 

Idealizada pelos músicos e compositores Brazza, Henrique Ayres e Gustavo  Andrade, a Bug, já no começo, despertava atenção por onde se apresentava pela autenticidade, qualidade musical e expressividade forte, muitas vezes em forma de protestos, por meio das letras. Um dos passos importantes do grupo foi a gravação do primeiro e único disco, que contou com a participação especial de Luiz Andrade, que hoje faz parte da banda. Após essa fase, cada integrante trilhou um caminho diferenciado vindo a se reunir agora, em 2020, para relembrar os velhos e bons tempos e, juntos, darem uma nova “cara” ao álbum “Gosto, mas não posso”, que celebra os 20 anos de retorno da banda.

Gustavo  Andrade, Henrique Ayres e Brazza
Gustavo Andrade, Henrique Ayres e Brazza

press to zoom
Henrique Ayres e Brazza
Henrique Ayres e Brazza

press to zoom
Luis Andrade
Luis Andrade

press to zoom
Gustavo  Andrade, Henrique Ayres e Brazza
Gustavo Andrade, Henrique Ayres e Brazza

press to zoom
1/4
Bug2020_branca.png